O projeto de alfabetização foi concretizado a partir da parceria estabelecida entre a Fundação Banco do Brasil – FBB e o Programa Providência de Elevação da Renda Familiar, no período de 05/04/2017 a 05/04/2018.  Participaram também do projeto o Movimento de Educação de Base – MEB, as Obras de Assistência e de Serviço Social da Arquidiocese de Brasília – OASSAB e o Comitê Esperança.

A metodologia tem como base os princípios de uma educação libertadora e a prática da leitura do mundo, que considera a realidade do alfabetizando como ponto de partida do processo educativo. Trata-se de modelo que tem por base a consagrada metodologia desenvolvida pelo MEB agregada com a tecnologia social do BBEDUCAR.

Os parceiros OASSAB e Comitê Esperança ofereceram ajuda de custo mensal de R$ 400,00 para cada um dos seis moradores das regiões envolvidas que atuaram como educadores voluntários. O MEB ajudou na formação inicial dos voluntários das comunidades, como também nas quatro formações continuadas ocorridas durante o projeto.

Inicialmente, 125 alunos foram cadastrados. No decorrer das aulas, esse número aumentou para 149 alunos matriculados, divididos em 6 unidades: Duas na Estrutural, bairro Santa Luzia; duas em Santa Maria, uma no bairro São José e outra no condomínio Porto Rico, uma turma no Paranoá e outra no Núcleo Rural do Palha.

O objetivo do projeto é “Contribuir para a superação do analfabetismo no País, por meio de atividades educacionais voltadas para a alfabetização e a promoção da cidadania de jovens e adultos”.  Foram aplicados testes cognitivos junto aos educandos no início, meio e fim do projeto, para avaliação da evolução do aprendizado. Apesar da evasão, os educandos que permaneceram no projeto conseguiram atingir o objetivo: condições em fazer um breve bilhete e matematização básica.

As principais dificuldades encontradas na condução do projeto foram:

  • acesso às salas de aula, por parte dos educandos em alguns dos núcleos de alfabetização, devido a, entre outras, má estrutura e conservação das vias públicas de acesso, falta de iluminação, falta de segurança, falta de transporte público
  • a idade dos educandos, em sua maioria idosos, acarretando problemas de saúde e aprendizagem
  • carência de um lanche, tendo em vista que muitos deles apresentam-se para as aulas sem alimentação adequada.

Em parceria com o MEB houve investimento na formação dos educadores e representantes. Foram realizadas quatro formações durante o período. Seguindo a filosofia do MEB “Saber, Viver e Lutar”, foram desenvolvidos Círculos de Cidadania com as turmas da Estrutural, do Palha e de Porto Rico/Santa Maria.

No decurso do projeto, aconteceram as Jornadas Comunitárias, uma intervenção na comunidade levada a efeito pelos educandos, com a supervisão dos educadores e acompanhamento dos representantes. Na oportunidade, foram abordados os temas “Educação Comunitária” na comunidade de Porto Rico/Santa Maria e “Meio Ambiente-Mutirão de Limpeza”, na comunidade do Palha.

No dia doze de maio de 2018, houve a solenidade de entrega de certificados de conclusão do projeto no salão de festas do edifício Providência. Foram entregues 55 certificados para os alunos que passaram a exercer a leitura e a escrita da língua portuguesa. Os alunos tinham entre 35 e 93 anos e a motivação de ampliar o círculo de convivência, assim como obter melhores possibilidades de emprego e renda. Estiveram presentes os dirigentes das entidades envolvidas. José Luiz Bianco Junior, Diretor-Presidente do Programa Providência; Edson Anelli, Diretor da Fundação Banco do Brasil; Padre Gabriele Cipriani, Secretário-Executivo do MEB; Yelê Jordão, Presidente do Comitê Esperança; Renato Botaro, Gerente-Executivo da OASSAB .

Pela grandeza e oportunidade do projeto, o Programa Providência e os parceiros decidiram pela continuidade do projeto, mantido o apoio financeiro da OASSAB e do Comitê Esperança, por meio da concessão de ajuda de custo aos educadores comunitários locais.

As aulas aconteceram no período de maio a novembro de 2018, inclusive com os alunos participantes do projeto anterior.

Foram formadas três turmas:

  • na Cidade Estrutural, com 15 alunos matriculados,
  • no Núcleo Rural do Palha, com 12 alunos matriculados e,
  • no Paranoá, com 23 alunos matriculados.