Na formatura dos alunos da turma da Ceilândia, eles mostraram que a saída para romper esse ciclo é rever o consumo, reduzir desperdícios, controlar entradas e saídas  de dinheiro e priorizar a conquista de reservas financeiras.

Um agradecimento muito especial ao Tribunal de Justiça de Ceilândia, com destaque para a equipe da Justiça Comunitária, parceira do projeto, que deu todo apoio para a implantação do curso Não Sou Gabriela.

Para saber mais, acesse: http://www.naosougabriela.com.br

Curta a página do projeto no Facebook: https://m.facebook.com/naosougabriela

 

Programa Providência

Fundação Banco do Brasil

 

#educacaofinanceira

#poupança

#empoderamento