1. Ao tomar um empréstimo, não veja apenas se o valor da prestação cabe no seu bolso. Verifique o custo efetivo total (CET) do empréstimo, ou seja, quanto custa de fato a operação (juros, tarifas, impostos);

2. Poupar, eliminar desperdícios, gastar menos do que ganha e não assumir dívidas de familiares são boas formas para evitar o superendividamento.

Para saber mais, acesse:
http://www.naosougabriela.com.br

Curta a página do projeto no Facebook:
https://m.facebook.com/naosougabriela

Programa Providência
Fundação Banco do Brasil

#educacaofinanceira
#poupar
#autocontrole