Muito interessante a história de Francisca Gomes de Araújo Gonçalves, tomadora de microcrédito do Programa Providência. Pernambucana, veio para os arredores de Brasília em busca de dias melhores há 11 anos. Com seu marido, instalou-se na Ceilândia.  Seu sonho maior: a casa própria.

As dificuldades foram muitas, os obstáculos se sucediam, até que o marido conseguiu montar uma barbearia, em Samambaia. Bom profissional e com muita persistência, conseguiu formar uma sólida clientela, que a cada dia aumentava. Nesse tempo, Francisca fica grávida e nasce um filho com Síndrome de Down. As despesas da casa aumentaram, exigindo que ela passasse a ajudar tanto no custeio do domicílio quanto no tratamento do filho.

O garoto foi para a escola. Francisca, por morar longe, levava o menino e ficava por ele esperando. O mesmo ocorria com diversas outras mães. No começo, ficavam apenas conversando. Com o passar do tempo, Francisca começou a levar alguns cosméticos para vender às amigas. Teve êxito. Logo conversou com algumas delas para que a ajudassem nas vendas. Novo êxito. Mas nada cai do céu. Esse comércio é cheio de incertezas, insegurança, calotes e, ainda por cima, tem o problema de comprar e estocar os produtos. Foi aí que ela tomou conhecimento da existência do microcrédito do Programa Providência. Empreendedora nata, foi buscar o auxílio de que precisava. Inteirou-se das condições do financiamento das operações de microcrédito, tomou coragem e fez o primeiro empréstimo. Com o recurso financeiro em mãos, começou a comprar os produtos com desconto, aumentou o estoque e também o número de vendedoras. Hoje, conta com uma equipe de 107 mulheres, que se reúnem semanalmente para discutir as estratégias de venda e trocar experiências.

Eis aí um belo exemplo de empreendedorismo, organização, vontade de vencer e superar barreiras, proporcionando, inclusive, oportunidade de trabalho para mais de uma centena de mulheres. Ao Programa Providência cabe agradecer à Francisca por poder fazer parte desta história de sucesso.